sábado, 21 de junho de 2008

Nunca Mate o Tempo

MIGALHAS

NUNCA MATE O TEMPO

Sêneca ensinava : "Não é curto o tempo, mas dele muito perdemos. A vida é suficientemente longa e com generosidade nos foi dada para a realização das maiores coisas, se a empregamos bem. Mas quando ela se esvai no luxo e na indiferença, quando não a empregamos em nada de bom, então, finalmente, constrangidos pela fatalidade, sentimos que ela já passou por nós sem que tivéssemos percebido". Saibamos, pois, administrar o tempo. O tempo não se mata. Quem mata tempo é suicida, alerta o grande Millôr. E o dramaturgo inglês, H. D. Thoreau, arremata : "como se fosse possível matar o tempo sem ferir a eternidade".

Nenhum comentário: