domingo, 7 de setembro de 2008

O Homem Sincero: O Gênero da Amizade

Escrito por Fabio Hernandez - 03/09/2008

O gênero da amizade

Pedro e Cris tinham acabado de rever Butch Cassidy no apartamento dele. Ele soubera que Paul Newman, que fez Butch, estava morrendo. Montaigne escreveu que só se sabe a estatura de um homem na hora da morte. Os bravos dominam a arte de morrer, assim como dominaram a de viver. Paul Newman parecia grande sob esse ângulo. Os repórteres perguntaram a ele de que estava se tratando. Ele estava numa cadeira de rodas, devastado por um câncer e pelo tratamento brutal e inútil a que se submetera. No entanto teve forças para dizer que estava se tratando de pé de atleta. Lol. "Ainda bem que Butch morreu no apogeu da juventude e da beleza", pensou Pedro ao ver Newman na cadeira, velho, doente. A cena final de Butch Cassidy é um clássico. Um jornal classificou-a como o melhor fim de filme de todos os tempos.

Butch Cassidy é uma história de amizade sem limites. Butch e Sundance Kid, interpretado magistralmente por Robert Redford, são bandidos no Velho Oeste. Mas um tipo especial de bandidos. Charmosos, divertidos, nada sanguinários. Butch pensa, Sundance age. Butch é rápido no cérebro, Sundance saca a arma com sua mão esquerda com rapidez legendária. Ninguém que goste de cinema pode deixar de ver a cena da bicicleta. Sob Rain Drops Keep Falling on My Head, Butch dá uma volta de bicicleta num dia ensolarado com a namorada de Sundance no cano. "Butch", diz ela, os olhos fixos nos dele. "Se nós tivéssemos nos conhecido antes que eu encontrasse o Sundance, você acha que estaríamos namorando?" Ele diz uma frase que é um clássico. "Entre certos povos andar junto numa bicicleta significa estar casado." Etta, vivida por Katherine Ross, é dona de uma beleza ao mesmo tempo terna e sensual. Quando acompanha os dois numa fuga desesperada para a América do Sul, impõe apenas uma condição: não iria vê-los morrer. Quando o cerco a eles se aperta, ela retorna. Toca então a música mais bela desta que é uma das maiores trilhas sonoras do cinema, composta por Burt Bacharah no seu apogeu: Never Going Home Anymore. Nunca mais de volta à casa.

"Parece que amizade assim, cúmplice e para toda obra, é mais comum entre homens. Você viu Desejo e Reparação? Uma irmã ferra a vida da outra por conta de um homem. Enquanto num conto do Borges dois amigos que se apaixonam pela mesma mulher a matam para manter a amizade.", diz Cris. "As mulheres competem. Raras as mulheres que elogiam umas as outras com sinceridade, mesmo por coisas bobas como o vestido ou o cabelo. Raro, mas não estou dizendo que não acontece. Eu mesma tenho grandes amigas."
"Hmmmm", disse Pedro.
"Você não encontra um filme de amizade entre dois caras como Butch Cassidy no universo feminino. A exceção notável é Thelma & Louise."
Um outro final espetacular, parecido com o de Butch Cassidy. O carro rumo ao abismo. O carro em que as duas amigas encontraram enfim a liberdade. Também o final de Thelma & Louise entrara na lista dos maiores do cinema.
"Sabe a definição do Montaigne para a amizade? Dois amigos formam como que um único tecido no qual você não percebe a costura."
"Entre as mulheres esta costura não existe", disse Cris.
Passou por Pedro a idéia de que a desgraça de uma mulher é a felicidade de muitas outras. Pedro fez um gesto quase teatral. E depois disse uma banalidade. Cris riu.
"Adoro quando você junta as mãos solenemente como se fosse fazer um grande pronunciamento e depois fala uma bobagem", ela disse.
"Tou pensando na morte próxima do Paul Newman", ele disse.
"Ele tinha olhos turqueza profunda. Um cara assim não devia morrer."
Pedro fez seu gesto quase teatral. Parecia Platão.
"É", concordou.

Nenhum comentário: