domingo, 28 de setembro de 2008

O Partido que virou suco!


Enviado por Lucia Hippolito - 18.9.2008 8h48m
eleições 2008
O partido que virou suco

Esta demonstração de canibalismo explícito que os tucanos paulistas estão oferecendo ao país pode vir a ser o dobre de Finados que faltava para mostrar que, ou o PSDB se reinventa ou vai afundar na irrelevância. Aquele PSDB que se apresentava como um partido moderno, a opção pela social-democracia, um conjunto de homens e mulheres que tinham um projeto para o país. Aquilo tudo virou suco.E não é de hoje. O PSDB está padecendo de obsolescência precoce. Talvez tenha chegado cedo demais ao poder, talvez não tenha tido tempo de construir uma sólida identidade. Identidade que se desmanchou no ar desde a perda do governo federal em 2002.A derrota de Serra para Lula deixou o PSDB à deriva. O partido perdeu a eleição e perdeu o rumo. Perdeu a própria identidade. Passou os primeiros anos do governo Lula meio atarantado, meio barata tonta, sem saber se votava a favor das reformas porque eram bandeiras do partido – ou porque não sabia fazer oposição.Veio a crise do mensalão, e os tucanos passaram a se torturar em dúvidas hamletianas sobre atacar ou não o presidente Lula. Como não sabem fazer oposição, não despiram os punhos de renda e não quiseram partir para a briga.Apanhados em relações espúrias com o valerioduto – a estreita ligação do senador Eduardo Azeredo, então presidente nacional do PSDB, com o valerioduto mineiro –, os tucanos preferiram não punir os seus.Caminharam a reboque dos escândalos, deixando para a imprensa o papel de investigar, descobrir fatos, correr atrás de denúncias. De camarote, o PSDB aguardou que todo o trabalho da imprensa resultasse num Lula em frangalhos, humilhado e derrotado – e a presidência da República cairia em colo tucano por gravidade, sem que suas Excelências tivessem que se coçar.Bem feito! Deu tudo errado. O PSDB perdeu a bandeira da estabilidade econômica para Lula, que dela se apropriou sem a menor cerimônia. Os tucanos não defenderam os oito anos em que estiveram no poder e se deixaram constranger pela acusação de privatistas irresponsáveis, que "venderam o patrimônio do povo brasileiro".O PSDB nasceu em São Paulo, e seu comando nacional de fato é até hoje paulista – em que pesem os presidentes de fora do estado.(Aliás, nisso PSDB e PT são gêmeos quase siameses. Não importa o tranco, não importam os escândalos, não importa a eleição esporádica de dirigentes de outros estados. O controle sobre o aparelho partidário e sobre as decisões do partido, tanto no PSDB quanto PT, está nas mãos de paulistas.)Por isso, a guerra entre serristas e alckmistas atinge em cheio o coração do PSDB – um coração paulista. A esta altura, não importa mais quem vai para o segundo turno enfrentar Marta Suplicy. O racha no PSDB é incontornável.Sem identidade, sem discurso, sem projeto para o futuro, sem rumo, o PSDB mais parece uma caricatura do PMDB: um grupo de caciques regionais – aliás, cacique demais para pouco índio – tratando de seus interesses provincianos.O PMDB é um partido da federação. O PSDB não. Não tem cacife para isso. Não tem voto, não tem tamanho, não tem bancada, não tem vereadores, prefeitos e deputados em número suficiente para falar grosso como partido federativo.Ao protagonizar este papelão, as lideranças tucanas desrespeitaram seu próprio projeto, o de um partido nacional.Vamos combinar uma coisa: o melhor PMDB que existe e sempre existiu... é o PMDB.O resto é uma triste caricatura.

Nenhum comentário: