sábado, 4 de outubro de 2008

McCain perde 30% de eleitores por causa de vice




O que você esperava de uma campanha que tem como vice uma mulher machista, anti-aborto, anti-gays, pró-armas, pró-maternidade e lavar as cuecas do marido e dos filhos??? Sim...para ela, combate à gravidez infanto-juvenil é colocar no currículo básico escolar aulas sobre as vantagens da virgindade para as meninas e premiar as virgens com um anel símbolo de sua castidade. Pelo visto não deu muito certo em casa....ou até deu, né? A filha adolescente, grávida, casou e vai ser mãe....tudo naquela santa hipocrisia norte-americana....

Mas voltando, você espera alguma coisa desta mulher que não uma máquina de gafes???

Confira:

Doutrina Bush - Mostrou que não tinha idéia do que era, em entrevista à rede ABC

Rússia -
Disse que tinha experiência em política externa por causa da proximidade entre Rússia e Alasca

McCain -
Não soube citar o que McCain fez para regular o mercado.


Artigo do NYT:

Após vários deslizes, candidata a vice republicana passa por curso intensivo para enfrentar vice de Obama em debate

NYT, Washington

Quando foi indicada para vice de John McCain, a governadora do Alasca, Sarah Palin, incendiou a convenção republicana e virou um trunfo do partido. Um mês depois, abaixada a poeira, a inclusão de Sarah na chapa parece ter sido uma péssima idéia. Para muitos republicanos, ela se tornou um problema.

As gafes a transformaram em piada favorita dos comediantes e sua popularidade despencou. Ontem, ela foi enviada para a casa de McCain, no Arizona, para um curso intensivo sobre política interna e externa para o debate contra o democrata Joe Biden, vice de Obama, marcado para amanhã.

Enquanto isso, Sarah virou alvo até dos companheiros de partido. "Ela provou que não está pronta para o cargo", disse David Frum, que escreve discursos para o presidente George W. Bush. Semana passada, Kathleen Parker, uma das mais influentes colunistas conservadoras, pediu a renúncia de Sarah. David Brooks, colunista do New York Times, chamou sua candidatura de "constrangedora".

O maior problema é que Sarah vem se mostrando um fiasco quando fala sem o teleprompter. Em sua primeira entrevista, a Charlie Gibson, da rede ABC, ela não soube dizer o que era a Doutrina Bush e afirmou ser especialista em política externa por causa da proximidade entre seu Estado e a Rússia. "Dá para ver a Rússia do Alasca", disse. Os democratas não perdoaram. "Da minha casa, eu vejo a Lua. Isso não faz de mim um astrofísico", disse Paul Begala, comentarista da CNN.

No auge da crise econômica, em entrevista a Kate Couric, da CBS, Sarah elogiou McCain por defender a intervenção no mercado financeiro. "Mas McCain sempre foi contra a regulamentação. Você poderia me citar alguma medida que ele tenha tomado para regular a economia?", perguntou Kate. "Eu vou checar e te falo depois", respondeu Sarah.

"A entrevista com Katie mostra que ela precisa estar mais preparada sobre certas questões", admitiu Jim Greer, presidente do Partido Republicano da Flórida. O desempenho de Sarah tem sido tão desastroso que conseguiu até mesmo ofuscar as gafes do vice de Obama.

Em comício na semana passada, Biden criticou a passividade de Bush, afirmando que ele deveria agir como Franklin Roosevelt, que foi à TV acalmar os mercados após a crise de 1929 - quando Roosevelt não era presidente e nem havia televisão.

Alguns dias depois, em discurso no Missouri, Biden pediu um caloroso aplauso para o senador democrata Chuck Graham, que estava presente no salão. "Vamos, Chuck, fique de pé", gritou Biden, sem perceber que o senador era paraplégico.

Nenhum comentário: