domingo, 16 de agosto de 2009

Eu sei... - M u n d o M u n d a n o

04/08/2009

eu sei


Johnny na Babilônia

Eu sei que você é o exemplo máximo da libertação feminina. Eu sei que você, apesar de sua tenra idade, tem um currículo e uma experiência invejável. Eu sei que você, praticamente sozinha, comanda uma empresa com mão-de-ferro. Eu sei que quando você passa pelos corredores as pessoas abaixam a cabeça, num misto de admiração, respeito e uma pitada de temor também. Eu sei que você assusta os homens com seu nariz empinado, seu porte atlético, mas ainda mais pela sua independência, coragem e autoconfiança. Eu sei que você fez doutorado no exterior e sua tese foi aprovada com distinção, além de ser citada no mundo inteiro. Tudo isso antes de se tornar uma balzaca.



Só que eu também sei que, por dentro de toda essa couraça de conquistas e sucessos, no íntimo deste ser tão avesso a fracassos e decepções, esconde-se uma criaturazinha louvável, cansada de tantas cobranças, presa numa bolha de admiradores que não te permitem falhar em nenhum momento. Eu sei que nessas horas você deseja ser apenas uma mulher.



E o que eu mais sei é que você é capaz de trocar tudo isso: todos os prêmios recebidos, todos os elogios profissionais, toda a fama, por aquele momento noturno, só nosso.



Aquela hora em que eu percebo que suas necessidades não tem ligação nenhuma com troféus, medalhas, insights brilhantes ou demonstrações de saber. O momento em que seus olhos marejados denunciam a vontade de ter tido um filho, ter ido ao enterro da tia-avó ou ao jantar com as amigas da faculdade. A hora em que o silêncio deixa bem claro que você não liga pro meu braço malhado ou pro meu abdômen travado. A parte do meu corpo que você mais gosta é o meu peito. Pois é ali que você, mansinha, se aconchega devagarzinho e chora baixinho. É neste ninho, só seu, que você se entrega. Põe pra fora seus medos, seus anseios, revela seu verdadeiro lado mulher.



E assim, enquanto seu pranto tímido rompe o silêncio sepulcral do nosso quarto, eu te cubro, te abraço, te conforto, te protejo. Tudo no mais puro silêncio. E você dorme assim, este sono angelical que é a fonte de toda essa sua força e garra. Essa é a nossa maior intimidade...



Nenhum comentário: