domingo, 10 de janeiro de 2010

Nelson Motta

Quem elege quem?

Ignorancia+esperteza=atraso

Não há nenhuma surpresa em Lula ser o brasileiro mais confiável na pesquisa do Datafolha. O que espanta é saber que, entre 27 personalidades populares, só ele e Silvio Santos eram conhecidos por todos os entrevistados. Significa que há milhares, milhões de brasileiros, eleitores em algum rincão deste País, que não conhecem, não ouviram falar, não sabem quem é Roberto Carlos nem Chico Buarque, o padre Marcelo Rossi, William Bonner ou Caetano Veloso, que secundaram e, em certas regiões e faixas de escolaridade, superaram Lula como o brasileiro mais confiável do momento.

É assim mesmo: na democracia é cada cidadão um voto. O de um bandido e o de um herói valem o mesmo. Mas é desolador saber que tantos homens e mulheres com tão pouco acesso a um mínimo de informação vão continuar elegendo os piores candidatos ? ignorando que eles continuarão a atrasar a sua vida. E a de sua aldeia, seu Estado e seu país.

É difícil imaginar que alguém com qualquer interesse, ou possibilidade, de se informar sobre os candidatos, não conheça nem o Roberto Carlos, que está aí há 50 anos, fazendo o bem. Este é um eleitor que não tem vontade nem motivos para votar. Como é obrigado, vota em qualquer um, nos piores, nos que perpetuam a sua miséria. É esse voto podre que os defensores do voto obrigatório lutam para manter ? porque se beneficiam dele. O Brasil é uma das raras democracias do mundo em que esse anacronismo antidemocrático e injustificável ainda existe. Qualquer reforma eleitoral decente começa pelo fim desse atraso.

O financiamento público de campanhas não vai acabar com o caixa dois ? para a maioria será só um caixa três. Já não lhes basta o horário eleitoral "gratuito" ? mas pago pelo contribuinte às emissoras? E os fundos partidários, os escritórios regionais dos parlamentares, as visitas às bases, as propagandas como "prestações de contas do mandato" ? tudo com dinheiro público? E estamos falando só dos políticos honestos, que, ainda assim, nos custam tanto quanto os corruptos. E ainda querem mais?

Eles pensam que a gente não conhece o Roberto Carlos. Ou os nossos políticos.

Nenhum comentário: